O cicloturismo na cuesta segundo um apaixonado pela bike

A prática do ciclismo e cicloturismo na cuesta tem crescido tanto de uns tempos pra cá, que antes saíamos nas trilhas e, raramente, encontrávamos um outro alguém de bike e em pouco tempo, muitas pessoas começaram a me seguir e pedalar junto comigo.

Hoje em dia é possível ver muitos aventureiros de bike pela cuesta. Nem sei mais dizer quem é “aquele ciclista” pedalando! rsrs.

Com eventos de ciclismo, como o “Desafio da Independência na Cuesta” e o cicloturismo de qualidade para grupos, e com toda orientação para a prática deste esporte com segurança, acredito que já trouxemos mais de 3000 ciclistas para  pedalar e conhecer nossas maravilhas. Sendo assim, o cicloturismo é, na minha opinião, um dos maiores propulsores que alavancaram o turismo de nossa região, logicamente, junto com as redes sociais.

Evento visitando a Cuesta e Cachoeira da Indiana

Me sinto privilegiado por poder pedalar aqui! Nossa região é repleta de percursos e paisagens maravilhosas. São muitos mirantes com uma beleza infinita, riachos cortando as estradas, cachoeiras e muitas serras com natureza exuberante.

Christiano Jorge Batista (Maim) e Elaine Correa

Lembro-me de  quando comecei a pedalar aqui, com equipamentos pesados, sem celular de última geração, me perdendo pelas trilhas. Muitas vezes, eu tinha que pedir informações e assim encontrar o caminho de volta pra casa.

O Cicloturismo é uma modalidade de esporte muito procurada para se fazer aqui. A bike tem sido uma fuga das grandes capitais para a paz do nosso interior. Um esporte que proporciona melhoria para a saúde, física e mental, além de um contato direto com a natureza e a oportunidade única de tirar lindas fotos. Isto levanta a autoestima de qualquer cicloturista! Com a pandemia, foi o esporte que mais cresceu.

Amo pedalar aqui! Passar pela Pedra do Índio e tomar aquele café caprichado, avistar as 3 Pedras, descer a Serra da Figueira sentindo o cheiro de ” freio queimado” da bike, só para ver as 3 Pedras de pertinho. Ainda podemos contemplar o mirante da Base da Nuvem, percorrer pelo vale da cuesta, passando por riachos em cima da  bike ,e dar aquela passadinha na cachoeira da Indiana para se  refrescar, ou até mesmo, ir em  direção  à cidade de Pardinho, para avistar o Gigante Adormecido, guardião de nossa cuesta e do Aquífero Guarani, todo imponente, nos proporcionando um visual lindo e fotos incríveis .

Christiano Manim, Cassiano Falcão. Fernando Uzze na entrada da Pedra do Índio

Meu nome é Christiano Jorge Batista, muito conhecido como “Manim”. Comecei a pedalar há 11 anos devido a um problema de circulação nas pernas, e pra mim foi um santo remédio. Eu, que sou balconista de farmácia, encontrei o melhor remédio sobre as duas rodas. Aprendi a gostar tanto desse esporte que hoje em dia, fico muito feliz em ver outras pessoas pedalando e se apaixonando pela bike como eu. Faço parte do grupo de pedal BK8´s de Botucatu e sou fundador do projeto “Pedala Botucatu”, que se tornou uma agência de cicloturismo, onde trazemos ciclistas de outras cidades para conhecer as maravilhas do meu quintal. Venha conhecer a nossa cuesta de bike e visitar esses lindos lugares, garanto que será uma experiência inesquecível.

Para ter a melhor experiência de sua vida sobre duas rodas, contrate um guia bike. O guia com certeza vai te proporcionar um cicloturismo de qualidade e com toda segurança, experiência esta que você tem que realizar um dia pois vale muito à pena!

Christiano Jorge Batista (Manim)
Balconista de farmácia, Guia Turístico e sócio proprietário  da Agência de cicloturismo PEDALA BOTUCATU TUR
Apaixonado por bicicleta.

Confira nossa galeria de fotos

Compartilhe esse post

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest